Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Cidade Europeia do Vinho 2018: O que visitar em Torres Vedras e Alenquer

Fabrice Demoulin

Com o objetivo de promover o enoturismo, a Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), que integra municípios de 11 países, tem promovido desde 2012 um concurso anual "Cidade Europeia do Vinho". Depois de Palmela (2012) e Reguengos de Monsaraz (2015), Portugal volta a ostentar o título, graças à escolha da candidatura conjunta dos municípios de Torres Vedras e Alenquer, localizados no distrito de Lisboa. A decisão foi anunciada, no dia 30 de novembro, em Bruxelas.

"É um título importante para a divulgação do território e do produto, que é o vinho, que ainda é pouco conhecido, porque quando falamos em vinhos falamos sempre dos do Douro, do Alentejo ou do Dão e esta é uma oportunidade para os turistas conhecerem os Vinhos de Lisboa", declarou o presidente da Câmara de Alenquer, Pedro Folgado. Para 2018 estão já previstas mais de 60 iniciativas ligadas aos vinhos nos dois concelhos.

O Boa Cama Boa Mesa, em parceria com a Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa, distribuiu gratuitamente, no passado dia 21 de outubro, o guia de enoturismo “Vinhos de Lisboa”. A partir deste guia, recordamos agora 10 locais obrigatórios para conhecer melhor a importância socioeconómica da vinha e o vinho na região:

Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa
A monumentalidade do edifício, localizado no concelho de Torres Vedras, não deixa margem para dúvidas: estamos perante uma obra de arquitetura da década de 50 do século passado. Depois de devidamente restaurado, o edifício acolhe hoje um espaço museológico, que ganha forma com o acervo ligado à vinha e ao vinho, a somar ao espólio composto pelas cubas de cimento, espalhadas por três pisos, ainda em pleno funcionamento. No icónico edifício há tempo para uma visita guiada, seguida, na loja, de uma prova de cinco vinhos da Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa.
Avenida 10 de Junho, 8, Arneiros, Ventosa, Torres Vedras. Tel. 261 951 182

Quinta da Almiara
A imponente adega da Quinta da Almiara distingue-se na paisagem, rodeada pela vinha da propriedade de 160 hectares, somados, desde 1982, por José Constantino, nome ligado à indústria do bacalhau. Pode conhecer os rótulos e a história deste produtor através das visitas guiadas à adega e prova de vinhos (€15). Para os enófilos, a experiência pode ser complementada com um jantar vínico (€30), enquanto os apreciadores de bacalhau podem usufruir da experiência enogastronómica “Cod for Lunch (€40).
EM 555, km 9, Ventosa, Torres Vedras. Tel. 261 958 300

Adega Mãe
Em 2011, um ano após a primeira colheita, é inaugurada a Adega Mãe, em homenagem a Manuela Alves, mãe de Bernardo Alves, diretor--geral da vertente vinícola do Grupo Ribeiralves. O projeto, assinado pelo arquiteto Pedro Mateus, resulta de uma paixão antiga da família e foi criado com o propósito de valorizar o terroir da Região dos Vinhos de Lisboa através da produção assente na tecnologia de ponta, bem como no enoturismo. As visitas guiadas permitem conhecer a adega e a sala das barricas e terminam com uma prova de vinhos (de €6 a €25). Para uma experiência mais completa, que obriga a marcação prévia, são organizados almoços ou jantares, devidamente harmonizados (€50), no Espaço M, com uma magnífica vista.
EM 554, Fernandinho, Ventosa, Torres Vedras. Tel. 261 950 100/105

Restaurante Roots
Na garrafeira, que divide a sala do restaurante do wine bar, predominam os vinhos de Lisboa. Estes rótulos assumem-se como a companhia perfeita para os pratos tradicionais, com uma apresentação cuidada, saídos da cozinha com forno de lenha, memória de infância de Bruno Barbosa, um dos proprietários deste espaço eclético e com uma decoração aprazível. Na ementa do restaurante Roots encontra diversos produtos regionais, do pão aos queijos, destacando-se, nos principais, o Coelho assado em forno a Lenha com arroz de ervilhas, tranche de cenoura e funcho, e o Torricado de bacalhau grelhado, batata a murro, misturada saloia e alho francês glaceado.
Parque da Várzea, Torres Vedras. Tel. 261 315 010

Museu do Vinho – Antigo Celeiro Real
O Real Celeiro Público de Alenquer, datado de 1811 e erguido a mando de D. João VI com a finalidade de ajudar os agricultores na recuperação das propriedades devastadas durante as Invasões Francesas, funciona como Museu do Vinho desde abril de 2006. Com acesso gratuito, o circuito criado convida a conhecer melhor a tradição da produção vitivinícola da região através de uma exposição permanente que retrata a evolução das técnicas e instrumentos associados à agricultura. Localiza-se no emblemático Bairro do Areal, onde nasceu Damião de Góis e onde estão reunidos vários pontos de interesse histórico e patrimonial, como a Torre da Couraça ou o Castelo.
Rua Dr. Teófilo Braga, 12, Alenquer. Tel. 263 711 544

Quinta da Chocapalha
A escassos minutos da histórica Aldeia Galega da Merceana, a Quinta da Chocapalha apresenta um programa de enoturismo que inclui, além da visita à nova adega, um passeio pela vinha e a prova de três vinhos (€36). O mesmo programa, seguido de uma refeição harmonizada com vinhos da Quinta da Chocapalha (€70) é outra das ofertas. Os pedidos de reserva devem ser feitos com antecedência.
Aldeia Galega da Merceana, Alenquer. Tel. 263 769 317

Quinta do Pinto
Com 120 hectares, a Quinta do Pinto apresenta-se como uma “boutique winery”, onde 63 hectares são vinha assente na prática da viticultura sustentável. Na vertente enoturística, as irmãs Rita e Ana Cardoso Pinto preparam três tipos de visitas. O programa inclui passeio de jipe pela vinha e visita à adega. No final, a prova é acompanhada de petiscos ou, em alternativa, de uma refeição (máximo de 18 pessoas). O agendamento prévio é imperativo (preço sob consulta).Os fins de semana estão reservados para grupos maiores.
Quinta do Anjo, Aldeia Galega da Merceana, Alenquer. Tel. 925 418 650

Sociedade Agrícola Quinta do Garrido
Nesta quinta, cada vinho conta uma história, com os rótulos a darem uma ajuda… O “Lisbon’s Mustache” remete para um antepassado da família Macieira e, claro está, o seu inusitado bigode. No programa enoturístico da Sociedade Agrícola Quinta do Garrido (por marcação) consta a visita às três propriedades e a prova de quatro vinhos (dois tintos e dois brancos) ou a prova de vinhos com visita às instalações da adega e storytelling (€10 cada programa). Existe ainda a possibilidade de uma visita personalizada (preço sob consulta).
Carnota, Alenquer. Tel. 918 919 572

Casa Santos Lima
Já na quarta geração, a Casa Santos Lima é dona de um vasto património vitivinícola. Como exemplo, a produção oriunda da Quinta da Boavista é atualmente responsável por 40% do total de Vinho Regional de Lisboa e DOC Alenquer vendido. Para acompanhar o evoluir dos tempos, este produtor apostou, em 2014, na construção de uma adega de enormes dimensões. As encostas suaves da propriedade convidam a um passeio de buggy (€8), mas não sem antes fazer uma visita guiada (€10), que pode ser complementada com provas de vinhos (por marcação), entre as quais a “Lisboa”, com três vinhos (€13).
Aldeia Galega da Merceana, Alenquer. Tel. 263 760 621

Restaurante Casta 85
A localização privilegiada sobre o rio e a decoração eclética já são duas boas razões para a escolha deste restaurante, em plena vila. Mas a confeção dos pratos, com uma apresentação e uma combinação de sabores cuidada pelo chefe João Simões, e a carta de vinhos de Alenquer (com opção a copo) tornam o restaurante Casta 85, num local de paragem obrigatória. Conte com um menu especial de almoço e diversos jantares vínicos ao longo do ano.
Largo do Espírito Santo, 81, Alenquer. Tel. 915 761 911

(textos adaptados a partir do guia enoturístico “Vinhos de Lisboa” by Boa Cama Boa Mesa, produzido em parceria com a Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa).

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!