Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Novidades e clássicos: 12 restaurantes a não perder, em Aveiro

Em Aveiro, e na envolvente da plácida cidade dos canais, abrem cada vez mais restaurantes. Há quem faça do bacalhau uma estrela e quem inove o receituário antigo. Os que apostam no forno a lenha e na grelha a carvão para desencantar pizzas ou carnes de categoria, e os que se viram para uma boa esplanada ou dão “palco” às cozinhas do mundo – olá México, Brasil, sabores africanos e asiáticos... Há poisos para vegans, amantes da comida saudável e mesmo para quem quiser almoçar num baloiço! Que comece a viagem...

Toca do Bacalhau
Saiu da "toca" discretamente, a 12 de agosto, pela mão do chefe Tiago Mota e dos sócios, Paulo Marques e Gil Lima. Tiago empresta o seu toque às receitas tradicionais, focando-se no bacalhau “de excelência”, que é homenageado e preparado “como se fosse uma estrela”. Observam-se vigias, redes e fotos antigas da faina, material cedido sobretudo por famílias de pescadores: “À segunda vez, já me trazem uma fotografia do avô, a hélice de um barco, um mapa...”. Almoça-se nas duas salas, a de baixo mais descontraída, a outra mais elegante. O jantar tem início no piso inferior da Toca do Bacalhau com um espumante bairradino e buffet de entradas à base de bacalhau (ovas, bolinhos, broa de bacalhau, línguas fritas...), e prossegue no andar de cima. No restaurante encontra a chora de bacalhau (€3), uma sopa que era servida aos pescadores da Terra Nova e levava arroz ou massa – resistiam a viagens longas - e caras de bacalhau. Há ainda feijoada de samos de bacalhau, por encomenda, bacalhau à Toca, com natas e à Brás, arroz de bochecha de bacalhau e bacalhau à Lagareiro (€15), além de outras proteínas. Termine com o bolo de tâmara com nata. Nos vinhos, dominam as regiões da Bairrada, Douro e Dão. Encerra ao domingo ao jantar e segunda-feira.
Rua Conselheiro Luís Magalhães, 46 A, Aveiro. Tel. 234069845

Marina by Luís Lavrador
Que venha o bom tempo para ir conhecer o Marina by Luís Lavrador, aberto no início de junho no Jardim Oudinot. É que, depois de passear no jardim e visitar o Navio-Museu Santo André, dá para preguiçar na esplanada e nos sofás, na companhia da marina e da Ria de Aveiro - o pôr-do-sol já não escapa! Pode só petiscar, embalado pelos vinhos a copo (garrafeira extensa) e os mariscos, como amêijoas à Bulhão Pato, berbigão e gambas salteadas. Ou então os caracóis e os samos fritos com maionese... Pergunte pelos peixes do dia, para comer com arroz de tomate e berbigão. O tentáculo de polvo braseado (€16,50) tem muita saída, tal como a grãozada ou feijoada de samos. O arroz de peixe e marisco é para duas pessoas (€27,50) e há também as espetadas de lulas e gambas e várias receitas de bacalhau, como o naco confitado servido com risotto de línguas. Para os dias mais frios o restaurante Marina by Luís Lavrador tem a sala interior. Conte com música ao vivo duas a três vezes por mês e a desejada gelataria: os sabores vão do mel de rosmaninho e figo à framboesa, chocolate com crumble, ovos-moles e banana. Encerra à segunda-feira.
Forte da Barra, Jardim Oudinot, Gafanha da Nazaré, Tel. 927507429

Un Poco Loco
Entra-se e recebe-se a “bênção” de Nossa Senhora de Guadalupe. O altar com a “Lupita” está ali a “proteger” este restaurante de cores vivas, a operar desde janeiro. As caixas de madeira a fazer de prateleiras, no bar, ajudam a compor a atmosfera relaxada. O restaurante Un Poco Loco apareceu para “oferecer algo que a cidade e a região não tinham”, explica Miguel Miranda. Nesta taqueria de inspiração mexicana, mas que se estende no conceito, recorre-se a produtos de qualidade, na sua estação. Comece com uns “Huevos rancheros” (€8) e o Guacamole tradicional (€5), que é feito na hora, num almofariz de pedra vulcânica. O taco “Poco Loco” (€12,50) leva lombo de vitelão grelhado e salteado e as “Gorditas” são três mini-sandes com barriga de porco, servida com pico de galo e molho de queijo. Como sobremesas, sugerem-se a “Cacaia” (€5), que é uma espuma de mousse de lima com uma bolacha crocante de lima, e ainda o bolo “3 leches com morango”. Deve provar um cocktail – há sempre um cocktail do mês - clássico ou um de autor, como o “Martinito” (€5). E claro, as margaritas: as de lima, abacaxi e morango são a €6,50 e de maracujá (sazonal), €7,50. O restaurante Não encerra.
Rua Eça de Queirós, 36, Aveiro. Tel. 234031906

Cais do Pescado
Conseguir um equilíbrio entre a tradição, a qualidade do produto e modernidade “qb” – sem entrar num território menos acessível - nem sempre é muito simples. É como chegar ao ponto certo de cozedura ou ao tempero preciso. De portas abertas desde setembro de 2018, junto ao Cais dos Mercantéis e Mercado do Peixe, o restaurante Cais do Pescado é um feliz exemplo desse engenho. No rés-do-chão, uma esplanada, o aquário de marisco vivo e a bancada de pescado fresco para grelhar e acompanhar com legumes da época, arroz de tomate ou do mar. No piso superior, uma sala de ambiente contemporâneo, prática e ao mesmo tempo agradável e moderna. Repare no desenho dos polvos e dos grandes peixes no azulão da parede, imitando o fundo do oceano... Tem sapateira recheada (€25), camarão tigre grelhado (€80/Kg), lagosta grelhada, arroz e a cataplana de marisco. Em alternativa, a tempura de polvo com arroz do mar (€18), o ensopado e massada de peixe, o bacalhau à Cais ou a famosa caldeirada de enguias. A delícia do Cais (€6) recupera os ovos-moles, o pão-de-ló e a bolacha americana, simbólica das praias da região. Encerra à terça-feira.
Cais dos Mercantéis, 7, Aveiro. Tel. 234425066

Fama by Luís Lavrador
No epicentro turístico da cidade “ia ser mais um” e podia dizer adeus à calma. Afastando-se um pouco, o Fama by Luís Lavrador, a funcionar desde fevereiro, afirma-se pela autenticidade. O projeto é do chefe Luís Daniel Lavrador, com a ajuda e orientação do pai, o chefe Luís Lavrador. Estes são os “pontas de lança” gastronómicos da seleção nacional de futebol, a que não são alheias as camisolas nas paredes e a jaleca assinada pelos campeões europeus em 2016, depois da final. À entrada, uma banca com peixe do dia, para servir com arroz de tomate e berbigão e legumes salteados. O bar numa das salas ajuda a esperar por mesa... Na outra sala vê-se a cozinha e uma garrafeira com cerca de 200 referências – ênfase na Bairrada e no Douro. No confortável e sofisticado restaurante Fama by Luís Lavrador joga-se no reduto da gastronomia tradicional, cuidada e atualizada com paixão. A versão da caldeirada (num copo) é uma proposta mais elaborada, a par do ovo a baixa temperatura (€8), do chambão de borrego com risotto de cogumelos e espargos (€13) e do naco de bacalhau com risotto de línguas de bacalhau. De abordagem mais familiar, o típico bacalhau com broa, o bife e posta de vitela de Arouca e a bochecha de porco preto. Surpreenda-se com o “Menu Fama”, de cinco momentos. Encerra domingo ao jantar e segunda-feira.
Av. Dom Frei Miguel Bulhões e Sousa, 44, Aveiro. Tel. 965334421

Marquês Lounge & Food
A localização, na central e movimentada Praça Marquês de Pombal, é estratégica. À sua volta "gravitam" o antigo Governo Civil de Aveiro, o Palácio da Justiça, o Convento das Carmelitas, serviços e outros espaços de restauração e comércio, e ainda o Teatro Aveirense e o Museu de Aveiro, a curta distância. Em baixo, um parque de estacionamento... Absorva essa dinâmica na generosa esplanada, no lounge ou na sala interior envidraçada. O descontraído Marquês Lounge & Food abriu há um ano, sem artifícios gastronómicos e com um serviço competente. Pode ir beber um vinho a copo, uma cerveja artesanal, sumo natural ou cocktail. Petiscar ou fazer uma refeição mais completa. O mexilhão de escabeche aguça o apetite, bem como o patê do Marquês, o carpaccio de bacalhau com vinagrete de tomate assado (€8,50) e as bruschettas. A sustentar, o bacalhau ao alho com batata a murro e legumes salteados (€13,50), a espetada de gambas ao alho com frutas e batata frita ou o naco & béarnaise com batata maitre d'hotel e misto de legumes, antes do pecaminoso chocolate e caramelo. Encerra à terça-feira.
Praça Marquês de Pombal, Aveiro. Tel. 965468229

Forneria 1870
Siga até ao Cais do Paraíso... Nesse destino algo "celestial" abriu, em janeiro de 2018, o Forneria 1870, num edifício de 1870 que era o antigo matadouro municipal. No terraço há uma esplanada rodeada de vasos, alfazema e lavanda, e a vista pousa nas salinas de Aveiro. A madeira das mesas, no interior, vem do tabique de um edifício com quase 200 anos, as cadeiras são restauradas e os projetores de luz estiveram ao serviço do Teatro Nacional de São Carlos, na década de 40. No Forneria 1870 promove-se a partilha e a gastronomia mediterrânica. A maioria dos pratos sai do forno a lenha e o grelhador a carvão natural. Inicie com a burrata de búfala, os míscaros grelhados, o carpaccio de novilho ou uma foccacia de pizza e pão de alho. Opte entre as pizzas clássicas italianas e as especiais, como a de trufa preta e cogumelos selvagens (€13,75). Há ainda massas, hambúrgueres e francesinhas em massa de pizza e outros pratos, como risotto de algas da Ria de Aveiro e berbigão com lombo de bacalhau (um tributo à região), a posta ao Tomahawk ou o costeletão de novilho. A gerência é de Américo Pessoa e Teresa Faustino e o chefe de cozinha é Jeffrey Pedreiras, com consultoria do chefe Luís Américo.
Edifício Sal Aveiro, Cais do Paraíso, 19, Aveiro. Tel. 910702485

Anna's Restaurant
E se pudesse almoçar ou jantar em cima de um baloiço? O Anna's Restaurant tem uma mesa redonda de oito lugares onde se come sentado em baloiços sobre um relvado artificial, como se estivesse num parque. A relva está também presente nalgumas paredes e o verde das árvores e jardins exteriores preenche os vidros. Depois de 24 anos na Venezuela, Ana Pinto regressou a Portugal e inaugurou o Anna's Restaurant em junho de 2017, que gere com o marido, José Monte. Ana sempre gostou de cozinhar e queria um negócio com um “serviço personalizado” e dedicado à satisfação dos clientes. O chefe Armando Matos está ao leme da cozinha de autor, baseada nos princípios da gastronomia tradicional. Comida “de conforto”, mas cuidada. O camarão em massa kataifi e com molho de mostarda e caril ou os cogumelos biológicos à Bulhão Pato (€6,50) dão boas entradas. A carne vem dos Açores, em vários cortes, e os risottos de bacalhau, abóbora e lima com camarão panado e o de cogumelos shiitake são destaques. No Anna's Restaurant há opções vegetarianas e doçaria viciante, como o crocante de ovos-moles e as Peta Zetas. O restaurante encerra ao domingo.
Rua Lauro Corado, 28, Urbanização Forca Vouga, Aveiro. Tel. 911037087

Musgo – Restaurante Vegan
A comida vegan de Miguel Roby Ataíde tem sido um sucesso entre os apreciadores da vertente “saudável”. Renderam-se os amigos, lá em casa, depois os amigos dos amigos e daí em diante, até ao inevitável Musgo – Restaurante Vegan. Miguel gosta de comida mediterrânica, a mãe é de Moçambique, o pai português, o avô era de Goa e a comida também atravessa fronteiras: de Portugal ao Brasil, a África, Médio Oriente, Ásia... O menu é simples: três hambúrgueres, o Tempeh (soja fermentada, da Indonésia), o de cogumelo Portobello e um de carne de soja. Uma sopa de miso, uma sopa do dia e uma tapa do dia (normalmente cogumelos japoneses, os coreanos Shimeji e Eryngii ou raridades sazonais). Os pratos principais mudam diariamente, ao almoço e ao jantar. Pode ser a vez de caril tailandês de amendoim (€8,50), moqueca de banana e tofu fumado ou das almôndegas de lentilhas com molho de iogurte de soja, por exemplo. Nos doces, o bolo de bolacha (€3,50), a mousse de chocolate com amendoim e a mousse de maracujá. Há vinhos biológicos, refrigerantes Whole Earth adoçados com agave e até Mate Cola, feita com erva-mate. Encerra domingo e segunda-feira.
Rua Tenente Rezende, Galerias do Rossio, 37 B, Aveiro. Tel. 234424075

Salpoente
No Canal de S. Roque, à frente deste clássico da gastronomia aveirense, passeiam os barcos moliceiros, numa perpétua exibição de elegância. Bela é também a estrutura do restaurante Salpoente, que recuperou dois antigos armazéns de sal. Entre exposições temporárias e o requinte das mesas, escreve-se uma “poesia de sabores e de sentires” que não deixa ninguém indiferente. O chefe Duarte Eira confia nas tradições e empresta-lhes criatividade. Neste momento, há dois menus de degustação disponíveis: o “À descoberta de produtos da região”, onde cabem as ostras e algas da Ria de Aveiro, a carne Marinhoa e os ovos-moles, por exemplo; e o “Memórias”, para conhecer o que de melhor se faz na cozinha do Salpoente. Deixou de ser servido o menu dedicado ao bacalhau, mas continuam a constar na carta sugestões como “A nossa versão de Brás de bacalhau” e o bacalhau e a salicórnia, ou não fosse Duarte Eira um especialista nesta proteína. Não encerra.
Canal de São Roque, 83, Aveiro. Tel. 234382674

O Gafanhoto
De olhos fechados, parece que ainda se consegue sentir os sabores apurados daqueles ensopados de garoupa e rodovalho... Os pimentos, a cebola e o pão absorvendo o molho ainda quente... Um prazer, como o são as restantes sugestões presentes na carta deste restaurante tradicional. Aqui reinam os sabores típicos, do peixe fresco aos bivalves da Ria de Aveiro, como o maravilhoso berbigão (€8,90) e as ostras, sem dispensar os mexilhões do Algarve no tacho, as petinguinhas fritas (€4,50), o arroz de tamboril, feijoada de búzios com gambas (€32, duas pessoas), caldeirada de enguias e tantas outras dádivas gustativas. A simpatia do serviço, familiar e genuíno, é mais uma “cartada” certeira. O proprietário, Paulo Rocha, é também o homem-forte desta que é (justificadamente) uma das cozinhas mais celebradas da região. O restaurante O Gafanhoto encerra ao domingo ao jantar e à segunda-feira.
Rua da Escola, 21, Gafanha da Encarnação. Tel. 234367673

O Bairro
Fachadas coloridas, lojinhas tradicionais, dois dedos de conversa entre moradores, o mercado onde se vende o peixe, os canais da Ria de Aveiro e os barcos moliceiros... É na dinâmica castiça do bairro da Beira-Mar, o mais típico da cidade, que se insere este restaurante. Figuras como a peixeira Sãozinha e o taberneiro Sô Zé são lembrados nos individuais. A gastronomia mistura tradição e inovação, à luz de “twists” inesperados. Um dos pratos de longa data, “A caldeirada do nosso bairro”, serve com espumas, peixe, batata e muito pimento corado na chapa. A cavaca é apresentada com creme de ovos-moles, glacê e sorvete de tangerina. Outros destaques do restaurante O Bairro são “O nosso arroz de peixe e gambas”, que custa €39 (duas pessoas) e aromatiza com coentros frescos, e “O leitão”, em que a barriga é confitada e serve com batatas salteadas, curd de laranja e “ar” de espumante (€17). Encerra à quarta-feira.
Largo da Praça do Peixe, 24, Aveiro. Tel. 234338567

Este artigo foi originalmente publicado na edição do Expresso Diário de dia 12 de setembro 2019.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!