Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

The Food Temple: As boas energias vegan da Menina Ming

Alice Ming tem formação e experiência na restauração, mas também dá consultas de tarot. E foi precisamente uma colega taróloga que durante uma consulta lhe indicou o destino no mundo para onde se deveria dirigir para encontrar alinhadas todas as energias ideais para Ming. Esse lugar no mundo era justamente Portugal.

Confessa que “nunca tinha pensado em Portugal”, “no máximo em Espanha”, e quando chegou “também não foi óbvio que queria abrir um restaurante na Mouraria”. Para a canadiana, “Portugal tem as condições para oferecer a melhor cozinha vegan”, nomeadamente “a proximidade às quintas produtoras; um clima diversificado que permite plantar quase tudo e pouca oferta de restaurantes do género”, sobretudo quando, em 2012, decidiu abrir o restaurante no charmoso Beco do Jasmim.

No The Food Temple, a boa energia está no ar. Há calor humano. Pessoas de várias nacionalidades conversam em mesas próximas. A cozinha é totalmente aberta, aliás com uma proximidade que nos dá a sensação de estar a participar da confeção dos pratos. Tudo se passa como se estivéssemos em nossa casa, com uma informalidade que nos cativa desde o primeiro minuto.

A ementa muda consoante a estação e de acordo com os produtos disponíveis no mercado. Alice Ming compra nas lojas chinesas e indianas do Bairro da Mouraria, mas também nos mercados biológicos. Ou seja, não existe ementa para consultar no Food Temple porque é decidida diariamente e escrita a giz num quadro afixado no restaurante. Inclui sempre uma sopa, três “tapas” (usualmente saladas) e um prato principal. As sobremesas são anunciadas por quem estiver a dar apoio às mesas e são cada vez mais elaboradas sem açúcar. As entradas custam entre €2 e €2,50; as tapas, entre €3,50 a €4; o prato principal ronda €11, e as sobremesas variam entre €3 e €5.

No dia da nossa visita, a ementa do dia era Sopa de favas e manjericão; Salada de feijão-frade com tomate seco, alcaparras e agrião; Massa de arroz chinesa com sésamo, couve-roxa e cogumelos com caju, puré com molho de ervilhas. Como prato principal, Ming e a equipa propunham Cogumelos assados com massala; Beringela sobre um cremoso puré de grão e limão e molho de coco picante. Para sobremesa havia Rolinhos de kiwi com amêndoa; Bolo de chocolate e Crumble de limão com compota de cereja.

Quanto às bebidas, existe a possibilidade de pedir vinho a copo (€5 a €9), mas também de optar por várias marcas de cerveja artesanal (8ª. Colina e Dois Corvos, a €3,50); chá gelado feito na “casa”, assim como por sumos naturais e ainda Coca-Cola orgânica.

A multiculturalidade convive em pleno com a tradição no Food Temple e Lisboa faz acontecer este “melting pot”.

The Food Temple (Beco do Jasmim, 18, Lisboa - atenção porque existem dois no Bairro da Mouraria e este é aquele que fica perto da casa onde viveu Maria Severa Onofriana, a famosa Severa fadista e conquistadora), está aberto apenas para jantares de quarta-feira a domingo, das 19h30 às 23h00.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!